23/01/2005 :

Noite ainda de preparativos, apenas uma semana após a construção dos quadros das bicicletas já nos aventurávamos a iniciar uma viagem com as mesmas.

A noite do dia 23 foi longa, a bicicleta da Helena já estava pronta, mas a minha ainda tinha vários detalhes a serem ajeitados e isso me consumia imensamente.

 

24/01/2005:

Após acordar cedo sem saber se a viagem ia vingar ou não, decidimos que ao sair de casa empurrariamos a bike morro acima, pra não enfrentar uma subida logo no início do dia. Foi uma boa decisão já que o morro da esquina de casa é uma bela pirambeira, principalmente para uma reclinada carregada.

Pedalamos com chuva praticamente o dia todo, mas pelo menos a pedalada rendeu.

Eu não estava acreditando que a Helena fosse realmente conseguir pedalar todos os mais de 100km programados para o dia, mas sabendo que ela já tinha ido de Floripa até a Palhoça era de se esperar que ela fosse conseguir, só dependeia dela querer, e aí era a parte mais difícil, convencê-la de que ela realmente podia.

A cada parada eu tinha que incentivar a minha namorada e usar as minhas palavras para dar mais um "gás", "ânimo" para ela.
Após chegar ao trevo de Laguna tivemos um sério problema de comunicação, pois eu informei que iriamos parar logo após chegar ao trevo, e quando estávamos chegando perto ela me liberou para pedalar mais rápido e eu passei o trevo e parei no posto de gasolina que existe logo após o trevo. Ela chegou tão exausta no trevo que achou que era pra entrar no trevo, indo em direção a Laguna...Quando eu estava no posto de gasolina chegou um motoqueiro avisando-me que o meu companheiro de viagem havia entrado no trevo em direção a Laguna... Ela entrou em contato por telefone e depois de alguns minutos ela apareceu pela BR-101, completamente exausta e sem a menor vontade de acampar. Acabamos passando a noite no Hotel. Ela fez questão de pagar pra poder descansar.

25/01/2005:

Após uma boa noite de sono, recomeça o martírio para a Helena. Pra deixar tudo ainda mais fascinante eu havia lembrado que deixei a bomba de ar em casa. A preocupação pela ausência da bomba me fez programar entrar em Tubarão para comprar uma. Enquanto isso a Helena seguiria viagem pela BR-101 e eu a encontraria depois da outra entrada da cidade.





26/01/2005







27/01/2005




28/01/2005

29/12/2005




30/01/2005

31/01/2005

Turismo em Torres : 31/01/2005

01/02/2005

 

 

www.000webhost.com